Rio de Janeiro,

quinta-feira, agosto 11, 2022
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #51

Paratleta de Maricá garante vaga no campeonato Brasileiro de Bocha

Mais lidas

O paratleta maricaense de bocha paralímpica, Lucas Araújo, de 28 anos, morador de São José de Imbassaí, conquistou a primeira vaga na classe BC2 no Campeonato Brasileiro de Bocha, que será realizado em Uberlândia (MG), de 24 a 30/09.

A seletiva leste de bocha que garantiu vaga para o atleta aconteceu nos dias 22 e 23/07 no Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro.

Pessoa com Deficiência (PCD), Lucas é atleta que recebe o apoio da Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer.

“É muito bom participar do Campeonato Brasileiro. Estou muito feliz em estar classificado, pois em todas as classes só tinham duas vagas e eu consegui conquistar uma delas. Isso não tem preço!”, celebrou o paratleta.

Sobre bocha

Bocha paralímpica é similar ao bocha convencional, ou seja, o jogador tem como objetivo encostar o maior número de bolas na bola alvo. O jogo consiste em um conjunto de seis bolas azuis, seis bolas vermelhas e uma bola branca (bola alvo). A quadra deverá ser lisa e plana. A área é delimitada por linhas que possui uma dimensão de 12,5m x 6m.

Os atletas deficientes são divididos em quatro classes de acordo com o grau:

BC1 – Destinada apenas para atletas PCD, que podem jogar com as mãos ou com os pés e podem ter um auxiliar para entregar a bola.

BC2 – Aqui, nenhum auxiliar é permitido e um suporte ou cesto para bola pode ser adaptado. Nesta classe, o atleta apresenta quadro de paralisia cerebral.

BC3 – É o atleta com maior grau de comprometimento motor. Neste caso, ele é assistido por alguém, que tem a função de direcionar a calha seguindo exatamente as indicações do jogador.

BC4 – Nesta classe, os atletas têm qualquer outro quadro de origem não cerebral, como distrofia muscular progressiva, esclerose múltipla, lesão medular com tetraplegia.

spot_img
spot_img

Últimas noticias