Rio de Janeiro,

quinta-feira, junho 24, 2021
spot_img

Leia a nossa última edição #37

Pescadores de Itaipuaçu protestam pedindo desobstrução da entrada do Canal do Recanto

Mais lidas

Dezenas de pescadores participaram, na manhã desta terça (25), de uma manifestação no Molhe do Recanto, no Recanto, em Itaipuaçu. Com a retirada simbólicas de pedras manualmente, os profissionais pediam uma intervenção para a retirada de pedras que rolaram e dificultam a passagem dos pescadores no entroncamento entre o Canal da Costa e o mar.

Segundo a Colônia de Pescadores Z-7, a Autarquia de Serviços de Obras de Maricá (Somar) se disponibilizou para fazer a retirada dessas pedras e solicitou ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea), em 30/04, autorização para a desobstrução. A Somar informou que o órgão estadual não deu nenhuma resposta acerca da solicitação.

“O que estamos pedindo é a retirada das pedras para a entrada dos barcos. Já tivemos acidentes aqui. As pedras foram parar ali por conta da paralisação da obra e as ondas acabaram espalhando as pedras. Só queremos condições seguras para entrar e pescar”, contou Cláudio Isaac, vice-presidente da Colônia de Pescadores Z-7.

O prejuízo material tem sido muito grande, de acordo com os pescadores. “Eu estou com o meu barco destruído, um parceiro perdeu o motor do barco, minha rede está toda presa nas pedras. Meu barco foi arrastado por conta das ondas, foi parar do outro lado das pedras. Já perdi muito material e não estou conseguindo entrar por causa das pedras”, disse Cláudio.

Outro pescador teve um prejuízo que passa os R$ 15 mil. “Perdi barco, motor, rede, caixa de peixes, material…”, falou Israel Silva, pescador na região há 19 anos.

Vale lembrar que, no início da semana passada, uma equipe do Inea esteve no local para fazer vistorias, mas não deu nenhum parecer.

spot_img

Últimas noticias