spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #72

spot_img
spot_imgspot_img

Plantão Judiciário de Niterói define guarda de filhas de juíza assassinada

spot_imgspot_img

Mais lidas

As filhas da juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, de 45 anos, serão criadas pela avó materna; é o que definiu o Plantão Judiciário de Niterói, cidade em que a vítima morava com a família. A decisão foi expedida na última sexta (25).

As crianças, que têm idade entre 9 e 12 anos (e presenciaram o assassinato da mãe pelo próprio pai, o engenheiro Paulo Arronenzi), já estavam sob a tutela da avó e da tia.

“As crianças estão naturalmente abaladas, mas estão bem acolhidas, estão na companhia da tia materna. A tia e a avó moram juntas e a avó exercerá a guarda com ajuda da tia”, afirmou o presidente da Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro, Felipe Gonçalves.

Entenda o caso – A juíza do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) Viviane Vieira do Amaral Arronenzi foi morta a facadas na véspera de Natal (24). O acusado pela morte é o ex-marido, Paulo Arronenzi, que cometeu o crime na frente das três filhas.

Paulo foi preso por guardas municipais sem apresentar resistência.

Viviane Vieira do Amaral Arronenzi integrava a magistratura do estado do Rio de Janeiro havia 15 anos. Atualmente, trabalhava na 24ª Vara Cível da capital. Antes, atuou na 16ª Vara de Fazenda Pública

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img