Pré-candidato em Saquarema alega ter sofrido agressão e ameaça

Marcio Motta mostrou a agressão em um vídeo nas redes sociais. | Foto: Reprodução

O pré-candidato à Prefeito de Saquarema pelo PSD, Marcio Motta, afirma ter sido vítima de uma agressão com motivações políticas na noite da última sexta-feira (10). O radialista e político foi atingido com um soco no rosto após ser questionado sobre a campanha.

De acordo com o depoimento prestado à Polícia Civil, Marcio estava na porta de casa quando um homem o abordou perguntando sobre a campanha para prefeito. Ao abrir a janela do carro para conversar com o suposto agressor, foi agredido. O suspeito ainda teria dito a Motta para “não tentar a sorte em Saquarema não, vai tentar em outro lugar”, relatou o radialista à Polícia.

Marcio, após a agressão, buscou o Hospital Municipal Nossa Senhora de Nazareth, em Bacaxá, onde foi atendido e liberado. No dia seguinte, registrou boletim de ocorrência na 124ª DP – Saquarema, que ficará responsável por investigar o ato. O suposto agressor ainda não foi identificado.

Marcio Motta ganhou repercussão nacional recentemente por ter sido apontado como uma das pessoas que davam cobertura para que Fabrício Queiroz, ex-assessor e operador financeiro do esquema de rachadinhas no gabinete do então deputado estadual de Flávio Bolsonaro, se escondesse em Saquarema. Motta fazia o translado de Queiroz entre Atibaia, em São Paulo, e a cidade na Região dos Lagos do Rio. Queiroz ia a Saquarema para ver o filho atuar pelo Sampaio Correa FC.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.