Professores e alunos protestam por salários atrasados na Uerj São Gonçalo

Cerca de 200 pessoas, entre alunos, professores e técnicos da Faculdade de Formação de Professores (FFP), campus da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) em São Gonçalo, realizam nesta quinta-feira (13/07) um ato para marcar o fim do segundo semestre de 2016. A manifestação tem o intuito de dar visibilidade à atual situação da universidade, que está com dois meses de pagamentos atrasados, além do décimo terceiro e férias, para os servidores, e dois meses em atraso das bolsas estudantis. Além disso, desde o ano passado a instituição não recebe o repasse necessário para a manutenção dos campi, assim como há irregularidades em relação às empresas terceirizadas que prestam serviço de segurança e limpeza.

A situação da Uerj se agravou após uma decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região que, atendendo a um recurso da Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro, concedeu liminar suspendendo uma outra decisão do Juíz da 10ª Vara Federal do Rio de Janeiro, que determinava que o Estado a pagar os salários dos professores e servidores ativos da Uerj na mesma data em que servidores e professores ativos da Secretaria de Educação, que estão recebendo em dia.

De acordo com uma decisão da Associação dos Docentes da Uerj (AsdUerj), devido ao não pagamento dos salários aos professores, a categoria deverá entrar em greve em 1° de agosto. Os técnicos da instituição já estão em greve desde abril deste ano. Porém, mesmo que não ocorra a paralisação por parte dos professores, as aulas não irão retornar. Isso porque a reitoria da universidade já havia declarado que, com a atual situação da Uerj, a instituição não teria condições de retornar ao ano letivo sem o repasse de verbas de custeio e salários dos servidores.

Notícias Relacionadas