Quedas constantes de energia em Maricá podem levar à CPI da ENEL (antiga Ampla)

Foto: Denes Pereira - LSM

Foto: Denes Pereira - LSM

O fornecimento de energia prestado pela concessionária Enel (antiga Ampla) em Maricá foi novamente motivo de debates na sessão da Câmara de Vereadores. Os parlamentares relataram as preocupações com os serviços fornecidos pelo grupo, principalmente pelas as quedas de energia elétrica que voltaram a atormentar a população. Dr. Richard (PT) pediu que engenheiros da empresas façam uma visita urgente no Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no Centro.

Ele explicou que a subestação que atende a unidade não é suficiente. A preocupação com os pacientes que estão intubados é iminente. Com uma possível falta de energia, essas pessoas correm risco de morte.

“Tem um problema ali que é grave. Não é um problema em relação à Secretaria de Saúde. É um problema em relação a Enel. Tem uma subestação de energia que não comporta mais os equipamentos do nosso hospital. Queria fazer esse requerimento, em conjunto, direcionado a Enel, com apoio dos vereadores para que mandem engenheiros para ver como podemos substituir aquela subestação de energia”, disse Richard.

O vereador Filippe Poubel (DEM) comentou que a Câmara está montando uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para averiguar os serviços fornecidos pela empresa.

“Já dei entrada na CPI. Está na Presidência para nomear os membros e dar prosseguimento. Temos diversas reclamações dos clientes nas quedas de luz e no aumento abusivo nas cobranças. Acho pertinente a gente dar continuidade na abertura do requerimento de CPI para incluir a situação do hospital. De antemão convocamos uma audiência pública para discutir esse problema e, a partir desse momento, convocar os diretores”, explicou Poubel.

Notícias Relacionadas