Radares da Ponte Rio-Niterói começam a multar a partir desta segunda (15)

Os motoristas que trafegam pela Ponte Rio-Niterói devem ficar atentos a partir desta segunda-feira (15/01). Os radares começam a operar e fiscalizar a a velocidade.  A partir de agora, quem trafegar acima de 80 quilômetros por hora, velocidade máxima permitida na via, será multado.

A fiscalização de velocidade na Ponte Rio-Niterói já está funcionando desde a meia noite desta segunda-feira. Os letreiros luminosos instalados pela concessionária Eco Ponte nos dois sentidos foram atualizados e já orientam os motoristas de que os radares fixos estão em operação.

Registrando as infrações desde junho do ano passado, porém sem multar, oito radares foram posicionados em quatro pontos, nos dois sentidos: depois do pedágio, na descida do vão central, na grande reta e na altura do Cais do Porto, na chegada ao Rio. Quem for flagrado excedendo a velocidade de 80 km/h será multado em até R$ 293,47, se estiver mais de 50% acima da máxima permitida, o que é considerado infração gravíssima, com perda de sete pontos na carteira de habilitação.

Se o motorista exceder até 20% da velocidade máxima, a infração é considerada média, e ele perde quatro pontos na carteira, além de ser multado em R$ 130,16. Entre 20% e 50% superior à velocidade máxima permitida, a infração é grave, com perda de cinco pontos e multa de R$ 195,23.

O taxista de Maricá, Marcos da Silva Araújo, de 41 anos, acredita que essa medida vai fazer com que reduza o número de acidentes na Ponte Rio-Niterói e gostaria que essa tecnologia fosse instalada também na Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), rodovia de acesso a Maricá.

“Eu estou acostumado a ir para o Rio e os motoristas só passam em alta velocidade e, quando chegam próximo ao radar, eles diminuem. Na RJ-106 poderia ter também um sistema desses porque a velocidade aqui nessa estrada é muito alta”, disse.

Na Rodovia Amaral Peixoto, os radares estão desativados desde novembro do ano passado por falta de repasse de verba do Estado para a empresa responsável pela manutenção. Por conta disso, os motoristas passam em alta velocidade, desrespeitando as leis de trânsito.

Assim como o taxista, o serralheiro Edson Gomes também deseja que equipamentos como esses possam ser instalados na RJ-106 para conter a alta velocidade dos carros.

“Aqui na RJ 106 deveria ter um equipamento como esse. Nem deveria ter tirado os radares da estrada. Agora virou pista de corrida. Eu vim de Itaipuaçu dirigindo a 70km/h e não teve um carro que veio com uma velocidade menor que a minha. Todos eles passaram a 80km/h, 100km/h ou 120km/h”, relatou o serralheiro.

Diferente dos medidores de velocidade tradicionais, os radares possuem tecnologia de medição a laser e são capazes de calcular a velocidade em um amplo campo de espaço.

Notícias Relacionadas