Rede de ensino de Maricá terá progressão automática por conta do Coronavírus

Sala de Aula Salas de aulas devem permanecer vazias por tempo indeterminado. | Foto: Lucas Nunes

Os alunos da rede municipal de ensino de Maricá, sem aulas presenciais desde março por conta do novo coronavírus, deverão “passar de ano” automaticamente. A medida, que tem como objetivo combater a evasão escolar, a distorção de idade e série e, ainda, prevenir a repetência, foi definida após reuniões do Conselho Municipal de Educação de Maricá (CME).

Vale lembrar que não há previsão de retorno às aulas presenciais. “O retorno das aulas ainda não foi definido e segue suspensa por tempo indeterminado. Quem decidirá quando retornarão será a secretaria de saúde”, afirmou a secretária de Educação Adriana Luíza da Costa. Atualmente, os alunos estão tendo aulas com base no Regime Especial Multidisciplinar de Atividades Remotas (REMAR).

“O conselho se reuniu e entendeu que não seria possível fazermos uma avaliação reprobatória nesse período de pandemia, por isso optou-se pela progressão continuada. Os alunos serão aprovados, mas assim que retornarmos ao ensino presencial, vamos fazer avaliações diagnósticas. Quando retornarmos, será feito um realinhamento pedagógico”, explicou o subsecretário de Ensino Rodrigo Moura.

De acordo com o Sindicato dos Profissionais em Educação de Maricá (SINEDUC), esse regime foi recomendado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE). “Fizemos uma assembleia e informamos os profissionais sobre esse ponto. Todos os presentes concordaram que está é a melhor opção para o presente momento. Reorganizar o currículo para ano que vem. Inclusive, essa foi à orientação do Conselho Nacional de Educação”, explicou a diretora Aline Simonasse.

De acordo com a resolução da Secretaria de Educação que prevê a progressão continuada, a modalidade vai ser adotada para que “o aluno obtenha avanços sucessivos e sem interrupção nos anos ou nas séries, adotando uma metodologia pedagógica de avaliação cumulativa e contínua”.

A resolução prevê ainda que as instituições de ensino ainda deverão assegurar um plano de realinhamento pedagógico para o período de retorno presencial, com a finalidade de proporcionar aos educandos condições para superar as defasagens identificadas pelos docentes, pela Coordenação Pedagógica e pelo Conselho de Classe. O plano de realinhamento pedagógico deverá ser também, articulado com a família, fornecendo-lhe as informações para o acompanhamento das atividades destinadas ao desenvolvimento individual do aluno.

Notícias Relacionadas