Rede pública estadual deve ter 56% de escolas com oferta de horário integral em 2020

Divulgação

Divulgação

A Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (Seeduc-RJ) prevê que em 2020 cerca de 56% das escolas da rede pública terão turmas de ensino médio com ensino integral. Esse percentual corresponde a 583 unidades, um aumento de 117% em relação a 2019. Serão 2.159 turmas nessa modalidade, com capacidade para 75.567 alunos. Os dados foram apresentados nesta terça-feira (27/08) pela subsecretária de planejamento e ações da Seeduc, Ana Paula Velasco, durante audiência pública da comissão especial da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) destinada a acompanhar a implementação do turno único de no mínimo sete horas em toda a rede estadual. A medida foi estabelecida pela Lei 8.367/19.

Para fazer essa ampliação, a secretaria lançou em julho o Programa Escola pra Vida, em parceria com a Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), o Instituto Trevo, os consulados do México e do Equador, entre outras entidades. Segundo Velasco, a oferta no horário integral se dará de duas maneiras: atendimento de cursos profissionalizantes na matriz curricular de 283 escolas e de cursos de formação inicial e continuada (FIC) em 374 escolas, no próximo ano. Assim, os 92 municípios fluminenses terão unidades escolares com turmas de tempo integral.

“O programa pretende institucionalizar e tornar perene o horário integral no ensino médio. Hoje, nossos jovens precisam de uma melhor formação e o turno integral vai proporcionar a eles uma melhor inserção no mercado de trabalho ou na universidade”, afirmou a subsecretária. “A secretaria trouxe uma apresentação muito esclarecedora, em que demonstra realmente o interesse em ampliar a oferta de turmas em tempo integral”, avaliou o presidente da comissão, deputado Sérgio Fernandes (PDT).

De acordo com a Seeduc, há ainda previsão de escolas com ensino diferenciado na rede pública estadual com início em 2020. Três unidades terão ênfase no esporte, sendo uma delas em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Duas escolas serão interculturais, a partir da colaboração com os consulados do México e do Equador. Por fim, serão instaladas aproximadamente 30 escolas cívico-militares. Também participaram da reunião os deputados Renan Ferreirinha (PSB), Jorge Felippe Neto (PSD) e Gustavo Tutuca (MDB).

 

Notícias Relacionadas