Maraey assina com selo de destino turístico sustentável incentivado pela ONU

Foto: Divulgação / IDB

O projeto Maraey, destino turístico-residencial que será construído em Maricá, assinou com o selo Biosphere e recebeu essa certificação, dada pelo Responsible Tourism Institute (RTI) e incentivada pela UNESCO. Com isso, o projeto será desenvolvido com base nos 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) e às mais recentes diretrizes da Conferência do Clima de Paris.

“Obter a certificação Biosphere é uma feliz confirmação de que estamos no caminho certo. Vamos levar adiante um projeto único, com um olhar dedicado ao cuidado com o meio ambiente, responsabilidade social e a preservação da cultura local”, destaca Emilio Izquierdo, CEO da IDB Brasil.

Apenas outras 41 localidades possuem o selo, que tem o objetivo de promover o turismo sustentável. Dentre as cidades que possuem empreendimentos com este selo estão Barcelona e Tenerife, na Espanha, e Thompson Okanagan, no Canadá. “Maraey passa a integrar a revolução da Biosphere pela sustentabilidade, envolvendo todos os participantes da cadeia do turismo responsável: administração, grupos, empresas, trabalhadores, funcionários e turistas”, afirma Patricio Azcárate, Secretário Geral da RTI.

“Acreditamos que com o início das atividades do Maraey, teremos um divisor de águas no que se refere ao interesse dos mercados emissores e dos operadores de turismo por Maricá. Essa nova certificação do selo Biosphere vai agregar muito a imagem da nossa cidade, principalmente nessa nova fase pós-pandemia, onde prevemos um aumento significativo de fluxo nos destinos sustentáveis e integrados a bio-segurança”, comentou o secretário de Turismo de Maricá, José Alexandre Almeida.

José Alexandre também lembrou que o projeto está em conformidade com o que a Secretaria de Turismo de Maricá vem desenvolvendo nos últimos anos. “O projeto Maraey, em sua grandiosidade e amplitude, vem ao encontro da politica pública de desenvolvimento turístico sustentável do município de Maricá. Nesse sentido, a Secretaria de Turismo, em parceria com a Codemar, desde 2018, vem implementando o Plano Municipal de Desenvolvimento Turístico Sustentável – Maricá 2030. O plano teve o objetivo de preparar a cidade para um novo momento”, completou.

Sustentabilidade – A preservação do meio ambiente é, de acordo com a IDB Brasil, um dos pontos centrais do empreendimento. “Os patrimônios ambiental, social e cultural da região são componentes fundamentais ao empreendimento, e é nossa missão protegê-los”, acredita o diretor-executivo da IDB Brasil, David Galipienzo.

Desenvolvido numa área de 840 hectares em Maricá, Maraey tem como objetivo se tornar um exemplo mundial de sustentabilidade, com equilíbrio ambiental, econômico e social. O resort terá, ainda, um centro de pesquisas ambientais que conta com o apoio de renomadas instituições acadêmicas, como Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

O empreendimento terá investimentos estimados em R$ 11 bilhões, com geração de impostos de R$ 7,2 bilhões durante os primeiros 14 anos (construção e consolidação de vendas) e mais R$ 1 bilhão anual na operação. O projeto deverá gerar 36 mil empregos e colocará Maricá no mapa do turismo mundial.

O local contará com quatro hotéis cinco estrelas, que receberão uma média de 300 mil turistas por ano, entre eles um luxuoso eco-boutique resort, um hotel desenhado para ser o mais icônico resort de convenções a beira-mar do país e o MARAEY Golf Resort, ao redor de um campo de golfe sustentável de padrão internacional de 18 buracos.

O projeto oferecerá ainda novas moradias de diferentes tipologias (multifamiliar, duplex e vilas) com serviços integrados como escola, hospital, shopping e negócios, além de inúmeras atividades de lazer e esportivas. MARAEY inclui, também, uma universidade de hotelaria de padrão internacional, para posicionar Maricá como um polo de formação especializada na América Latina.

As cerca de 200 famílias de pescadores que vivem na comunidade de Zacarias, dentro da área do empreendimento, serão beneficiadas pela regularização fundiária, com cessão de título de propriedade e entrega de escritura definitiva aos moradores. Haverá, ainda, incentivo à cultura e a pesca locais, com programas de recuperação da Lagoa de Maricá, de repovoamento de espécies nativas e de resgate e de divulgação da memória familiar de Zacarias, através da criação da Casa do Pescador Artesanal.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.