Rock In Rio em Maricá e investimentos de R$ 11 bilhões. Assista ao vídeo

Clique aqui e assista ao vídeo

Os investimentos em turismo alçaram Maricá ao palco principal do ‘Rock In Rio” 2019. No segundo dia da atração mundial, a cidade roubou a cena com o anúncio da construção de um hotel resort em homenagem ao espetáculo que desde a década de 1980 reúne milhares de pessoas. O primeiro resort dedicado ao ‘Rock In Rio” faz parte dos investimentos do IDB Brasil que irá construir um grande empreendimento na restinga de Maricá.

A proposta do Rock In Rio Maraey Resort, primeiro hotel temático do mundo com a marca do festival, foi anunciado oficialmente pela vice-presidente do Rock in Rio, Roberta Medina, e por Emilio Izquierdo Merlo, presidente-executivo da IDB Brasil

Um vídeo promocional mostrando os potenciais da cidade de Maricá foi lançado na noite de sábado (28/09), no ‘Rock In Rio’, que acontece no Parque Olímpico do Rio, na região da Barra da Tijuca, com a presença do prefeito de Maricá, Fabiano Horta, do secretário de Planejamento, Leonardo Alves, do presidente da Somar, Renato Machado, do secretário de Relações Institucionais, João Maurício, do presidente da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar), José Orlando Dias, e também do ex-prefeito Washington Quaquá e da deputada estadual Rosângela Zeidan.

O empreendimento ficará na restinga de Maricá com o futuro hotel e resort “Maraey” que terá investimentos estimados em R$ 11 bilhões. O projeto do ‘resort’ na Restinga de Maricá deverá gerar 30 mil empregos e colocará Maricá no mapa do turismo no mundo todo.

Além do complexo hoteleiro, com mais de dois mil quartos, o empreendimento também prevê a construção de um centro de pesquisa ambiental e de uma universidade internacional de formação e capacitação de profissionais na área do turismo.

O projeto está localizado em uma Área de Proteção Ambiental (APA) e prevê adequação às normas que protegem a fauna e flora local. Um dos maiores complexos turísticos-residenciais do Brasil, o complexo será desenvolvido num terreno de 840 hectares, com ocupação predial de apenas 6,4% da área.

Essa é a primeira vez no estado do Rio que a mais completa experiência musical sairá da capital e irá ancorar num paraíso sustentável a apenas 40 km do centro do Rio de Janeiro.

A construção do Rock In Rio Maraey Resort, é um dos quatro hotéis previstos na região. As obras estão programadas para começar no primeiro semestre de 2021, e o início da operação dois anos depois. Emílio Izquierdo Merlo comemorou a parceria com a maior e melhor marca de festivais de música do mundo:

“A presença do Maraey, hoje, junto à marca Rock In Rio, com a qual estamos alinhados nos valores de inovação, sustentabilidade e responsabilidade social, é o começo de um sonho longamente batalhado. Vamos, com total apoio de instituições públicas, acadêmicas e privadas, dar a Maricá e ao Estado do Rio o mais inovador e sustentável polo de turismo do país”, disse o presidente-executivo da IDB Brasil.

Para Roberta Medina, o Rock In Rio Maraey Resort é uma importante experiência de contato da marca com seu público.

“Queremos ir além de um festival a cada dois anos e de ações em redes sociais. Poder materializar os valores da marca neste novo contexto é muito positivo para o Rock In Rio” completou a vice-presidente do festival.

 

Investimento de R$ 11 bilhões e mais de 50 mil empregos

A expectativa é que o complexo Maraey, que terá investimento privado de R$ 11 bilhões em 14 anos, gere R$ 7,2 bilhões em impostos por ano durante a construção e mais R$ 1 bilhão por ano em operação.

As obras de todo o complexo, previstas para durar 14 anos, gerarão 52 mil empregos diretos e indiretos por ano. A operação do Maraey gerará 36 mil empregos diretos e indiretos.

Além de quatro hotéis cinco estrelas e de zonas residenciais, o complexo contará com a segunda maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) de restinga do Estado do Rio, com 437 hectares. Nela, funcionará um Centro de Pesquisas da Flora e Fauna com apoio de pesquisadores de universidades como UFRJ, UFF e UFRRJ.

Além disso, o Rock in Rio Maraey Resort vai doar 0,7% de sua receita a projetos de proteção ambiental, educação e desenvolvimento social.

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), visitou mais tarde o estande do

 

Maraey no Rock In Rio e reafirmou seu apoio ao empreendimento.

“Fiquei encantado desde o primeiro momento em que fui apresentado ao projeto. Serão mais de 300 mil turistas por ano. É realmente algo fantástico. Podem contar com todo o apoio do Estado do Rio”, disse o governador.

O complexo Maraey entende o patrimônio ambiental e a cultura da população local como valores fundamentais ao empreendimento. O projeto prevê a urbanização e a regularização fundiária da comunidade de pescadores de Zacarias, cujas duzentas famílias receberão título de propriedade e obras de infraestrutura no mesmo padrão do restante do complexo.

“O empreendimento ganha sentido com valores ambientais e sociais. A comunidade e o ambiente serão beneficiados com um programa de resgate da memória cultural, um programa de revitalização da Lagoa de Maricá e um programa de repovoamento com espécies nativas. Vamos construir a Casa do Pescador Artesanal, com a exposição da memória e da cultura local, e trabalhar para garantir a continuidade da pesca”, disse o diretor-executivo da IDB Brasil, David Galipienzo.

Para o prefeito de Maricá, Fabiano Horta (PT), o empreendimento pode mudar o perfil da cidade e contribuir como um forte indutor de desenvolvimento para o Estado.

“Vivemos o ciclo do petróleo. O Maraey vai trazer para Maricá o ciclo do turismo, com benefícios para toda a população e a economia local e até estadual”, afirmou Horta.

Para qualificar a mão-de-obra, o Maraey contará, dentro do complexo, com uma universidade de hotelaria comandada por uma das mais prestigiadas escolas de hotelaria do mundo, que será anunciada em breve.

A IDB Brasil

A IDB Brasil é a empresa criada para desenvolver o projeto Maraey. É controlada e administrada por empresas espanholas, entre as quais a Abacus Property Development e o Grupo Cetya, que possui as certificações ISO 9002 e ISO 14001 e atua há mais de 50 anos no mercado de construção global, com projetos que envolvem recuperação ambiental. O grupo Cetya atua também através da Fundação Cetya, que repassa 0,7% do volume de negócios da empresa para o desenvolvimento de projetos sustentáveis nos territórios onde atua, patrocinando projetos esportivos, culturais e sociais.

Clique aqui e assista ao vídeo

Notícias Relacionadas