Ruas alagadas no Centro de Maricá e Pedreiras vão receber obras de drenagem

Foto: Secom PMM

Foto: Secom PMM

O trabalho de limpeza após a forte chuva que atingiu Maricá na última quinta-feira (28/3) se estende até este sábado. Equipes da Prefeitura passaram toda sexta-feira na Rua Rodrigo Alves Rangel, no Centro, para desobstruir redes de manilhamento que estavam causando alagamento nas casas dos moradores. Em uma das galerias, por exemplo, garrafas plásticas foram encontradas pelas equipes.

O prefeito Fabiano Horta acompanhou de perto o trabalho na região. 

Em umas das residências atingidas, o aposentado Ademir Gomes Vieira, de 67 anos, relatou o problema que sofre toda vez que chove mais forte. “Em condições normais esse aguaceiro que está aqui vai demorar de quatro a cinco dias para escoar. Da chuva passada, que não foi muito forte, demorou uns três dias para a água descer”, contou o morador. “O prefeito veio aqui e prometeu que vai fazer uma obra estrutural para acabar com esse problema”, completou.

O presidente da autarquia de Obras e Serviços de Maricá (Somar), Renato Machado, também acompanhou as equipes  e disse que para resolver o problema na região será preciso fazer uma galeria com aproximadamente 500 metros de comprimento que será ligada ao Rio Mumbuca.

“Eu recebi questionamentos sobre isso, mas hoje estamos aqui com motobombas com o objetivo de fazer uma drenagem, sugar essa água para que o pessoal possa entrar nas suas casas novamente”, disse. “A equipe de topografia já está levantando o local para que na próxima segunda-feira (01/04) comecemos a trabalhar nessa rua”, adiantou.

Além do Centro, antecipou que também na próxima segunda-feira será iniciado o trabalho de manilhamento nas ruas do bairro Pedreiras.

“Temos dezenas de ruas lá prontas há mais de 2 anos sendo impossibilitadas de serem asfaltadas por questões de drenagem. No entanto, uma vez que os moradores permitiram que passássemos a galeria por dentro de seus terrenos, vamos resolver essa questão e poder sanar qualquer tipo de alagamento de uma vez por todas”, finalizou.

Em Itapeba também houve casos de ruas completamente alagadas e com demora para escoamento das águas.

Notícias Relacionadas