Samba em luto: morre Claudinho Guimarães

Foto: Divulgação

O mundo do samba se entristece neste fim de domingo (14); morreu o cantor e compositor Claudinho Guimarães. Informações preliminares dão conta de que o artista sofreu um infarto e não resistiu.

Claudinho chegou a ser levado para o Posto de Urgência de Santa Rita, em Itaipuaçu, onde passou por manobras de reanimação, mas sem sucesso.

Nas redes sociais, as homenagens ao sambista, radicado em Maricá, já começam a surgir. “Luto no samba, na cidade e na vida… Grande Claudinho Guimarães”, lamentou o prefeito da cidade Fabiano Horta. “Ontem o face me trouxe essa lembrança. E agora fico sabendo que te perdemos. Que perda! Que m****. Desculpem.. Ahhh, Claudinho, não podia nos deixar, cara”, publicou uma fã, ao publicar um vídeo do cantor. “Claudinho Guimarães se junta aos grandes Bambas no céu. Obrigado Malandro pela alegria que nos deu (sic)”, postou outro admirador.

Claudinho Guimarães nasceu no Rio de Janeiro em 1970 e tinha duas paixões: o samba e o futebol. Era flamenguista roxo e desde os 14 anos já fazia música, tocando o pandeiro que aprendeu com o avô materno Manoel. Aos 15, aprendeu a tocar cavaquinho e desde então nunca mais largou o instrumento.

De acordo com a biografia no site oficial do cantor, iniciou a carreira de músico em um dos grandes redutos do samba: a Lapa, área boêmia do Rio de Janeiro. Foi lá que conheceu e integrou importantes projetos musicais com grandes nomes como: Almir Guineto, Monarco, Nelson Sargento, Jovelina, Sombrinha, Arlindo Cruz, Walter Alfaiate, Wilson das Neves, Nei Lopes, Guilherme de Britto, entre outros. Também fez parte do grupo “Força da Cor”, gravando um LP em 1993.

A partir dos anos 2000, Claudinho deu um início mais contundente como artista. Foi quando começou a cantar e a compor. Fez parcerias musicais significativas com amigos e compositores, como Serginho Meriti, Tiago Mocotó, Evandro Lima e Júlio do Banjo. Ao lado deles, criou canções que foram gravadas por Zeca Pagodinho (Quando a Gira Girou, La Vai Marola – Pedro Batuque, e Shopping Móvel), Alcione (Mangueira é Mãe), Diogo Nogueira (Da Melhor Qualili), Beth Carvalho e Leandro Sapucaí.

Em seguida, lançou carreira solo. Seu primeiro disco saiu em 2009. Trata-se do CR “Luz do Criador”, produzido por Evandro Lima. Em 2013 veio o segundo álbum, intitulado “De Bem com Vida”, com produção do Rildo Hora.

Outro registro marcante da carreira de Claudinho Guimarães é a presença na terceira edição do Quintal do Pagodinho, lançado em 2016. Foi quando Claudinho Guimarães pode se apresentar ao lado de nomes como Paulinho da Viola, Maria Rita, Diogo Nogueira e Moacyr Luz, dentre outros. O sambista cantou a sua canção “Quando a Gira Girou”, feita em parceria Meriti, e que é um dos grandes sucessos da carreira do Zeca. Vale lembrar que Zeca Pagodinho foi um dos intérpretes que mais gravou músicas de Claudinho. Confira o vídeo abaixo.

Ainda não há informações sobre o velório e enterro de Claudinho Guimarães.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.