São Gonçalo prepara talento para Jogos Olímpicos de 2024

A inclusão do karatê no programa olímpico de Tóquio 2020 trouxe ainda mais incentivo e visibilidade ao esporte que, apesar de antigo, não é muito popular em São Gonçalo. Prova disso é a nova geração de lutadores da cidade que tem se destacado em competições locais, estaduais e nacionais, como os atletas da Escola de Karate Kyokushin Oyama, no Centro.

Uma das promessas gonçalenses da modalidade, Rafic Farah, de apenas 15 anos, tem como meta os Jogos Olímpicos de 2024. Competidor desde os 7, o faixa marrom que faz parte da seleção estadual, foi classificado na última seletiva para a etapa final do campeonato nacional da Confederação Brasileira de Karatê (CBK), que acontece de 11 a 15 de outubro, em Salvador. “Não vejo o karatê como um trabalho ou uma obrigação. Pelo contrário, um tempo atrás eu nem sabia que tinha competição, fazia por diversão mesmo. Agora que sou graduado, tudo ficou mais sério e meu objetivo passou a ser a faixa preta”, explicou Rafic. Como ele, outros adolescentes também enfrentam uma rotina dura para se aperfeiçoarem no esporte.

Nicole Santos, Eric Lemos, Gabriel Chaves, todos de 14 e Jorge Santos, 15, também estão classificados para a final do torneio nacional, na categoria de atletas novos, que vai da faixa branca até verde. Juntos, eles que formam o grupo “Cruz Martial Team” e somam mais de 100 medalhas em competições. Todos treinam de cinco a seis dias por semana, por cerca de duas horas, nas academias do Colégio de Aplicação Dom Hélder Câmara (CApDHC), na Trindade e da Karate Kyokushin Oyama. Responsável pelo treinamento dos atletas, o “sensei” Leonardo Cruz, envolvido com o esporte há mais de 20 anos; e professor Israel Paes – primeiro mestre do Rafic – têm boas expectativas em relação à maior visibilidade do karatê em São Gonçalo. “O esporte vai ganhar mais mercado com a inclusão no programa olímpico. E com as categorias para deficientes visuais, cadeirantes também está mais inclusivo. Além da competição, o karatê ensina a ter limites, regras, disciplina”, resume Leonardo.

Notícias Relacionadas