Secretaria da Mulher realiza ação de enfrentamento à violência em SG

Divulgação

Divulgação

Dados do Dossiê Mulher 2018 mostram que cerca de 12 mulheres são assassinadas diariamente no Brasil. Pensando na importância de tornar mais próximo da população os órgãos públicos que realizam proteção e acolhimento às mulheres, vítimas de diferentes formas de violência, a Subsecretaria de Políticas Públicas para as Mulheres realizou na manhã da última segunda-feira (04/06) uma ação de conscientização no Partage Shopping, no centro de São Gonçalo. A atividade contou com distribuição de panfletos, esclarecimento de dúvidas com as equipes técnicas e informações sobre as diferentes formas de denúncia.

“Ações como essa são de extrema importância para que a população tenha conhecimento dos espaços públicos de acolhimento e de garantia de direitos. A cidade possui dois Centros Especiais de orientação à Mulher (Ceom), além da própria secretaria também contamos com o trabalho em rede de diferentes setores e segmentos que atuam na proteção”, disse Andrea Machado, subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres.

O Ceom Patrícia Acioli e Zuzu Angel, localizados em Neves, são espaços de orientação e assistência, que recebem mulheres em situação de violência, acompanhado cada caso e dando suporte nas áreas de psicologia, assistência social e jurídica. Só em 2017, mais de 300 mulheres foram assistidas.

A coordenadora Lilian Duca relata que grande parte dos casos que chegam ao CEOM têm início na violência psicológica, e em grande parte vinda dos companheiros das vítimas. “Muitas vezes as vítimas chegam ao Centro quando a violência já aconteceu, em grande parte vinda dos companheiros. Então é de grande importância que esse trabalho de conscientização seja feito para que a população tenha acesso e antes mesmo que a violência aconteça, saiba onde procurar ajuda”, destacou.

A atividade aconteceu em parceria com o projeto de extensão do curso de Direito da Universidade Salgado de Oliveira (Universo), com o apoio da advogada e consultora jurídica do CEOM, Lilian Nunes, e a professora e advogada Patrícia Brazão Motta. Cerca de 20 alunos do Núcleo de Estudos e Pesquisas Acadêmicas  (Nepac) auxiliaram no trabalho de conscientização com retirada de dúvidas sobre as diferentes leis protetivas às mulheres e também idosos.

Notícias Relacionadas