Sindicato de Niterói é contra aplicativo para taxistas

O vice-presidente da Associação dos Taxistas de Niterói (Astam), José Manoel Ornellas, voltou a afirmar que não há espaço para motoristas de táxi e de aplicativos da Uber na cidade. Ornellas disse para equipe de reportagem de A TRIBUNA que os taxistas da associação fizeram um balanço da última manifestação da classe na Câmara dos Vereadores e revelou que, apesar dos esforços dos parlamentares presentes à audiência pública sobre transporte individual de passageiros, “os taxistas não querem da Prefeitura, na verdade, nenhum aplicativo exclusivo”.

“Não precisa nem pedir ao prefeito Rodrigo Neves a criação desta ferramenta porque não queremos. O que queremos mesmo é acabar com a Uber na cidade”, criticou. Segundo o vice-presidente, o que a classe deseja é a preservação dos táxis tradicionais.

“Queremos a proibição da circulação de motoristas do aplicativo Uber no município. Não vale nem a regulamentação do serviço, que é visto a todo o momento como inseguro”, comentou Ornellas.

Ele não aposta na implantação do aplicativo Táxi Niterói, que seria pedido à prefeitura para incluir todos os taxistas, que seriam avaliados pelos passageiros quanto à corrida e ao estado de conservação dos carros. “Não achamos justa essa competição. Porque hoje muitos dos taxistas pagam diária. O motorista do Uber não paga, mas paga para o Uber”, lamentou.

O vice-presidente não disse se as tarifas de táxi, mesmo sem o aplicativo, iriam baixar devido à utilização do GNV. “Eu quero que só o táxi tradicional possa oferecer à população de Niterói um serviço com qualidade e bom preço”, disse.

Ornellas não descarta que, para pressionar, os taxistas voltem a bloquear uma parte da Avenida Amaral Peixoto. “É uma vergonha isso que está acontecendo. Culpa da desembargadora Marcia Ferreira, que liberou esse serviço pirata e que está acabando com a nossa proteção”, concluiu.

Ao contrário do que espera a Astam, as três maiores cooperativas Cooptax, Coopernit e Rádio Táxi Niterói saíram na frente e lançaram o aplicativo Top Táxi Niterói. Segundo o presidente da Cooptax, Paulo Roberto, o objetivo é se adaptar à nova tecnologia e garantir praticidade e menos tempo de espera por um veículo na cidade. “São novos tempos e novas necessidades. Não adianta ignorar a modernidade devido à falta de habilidade de alguns taxistas tradicionais que não sabem lidar com os aplicativos”, explicou ele, que afirmou já ter mais de dois mil usuários utilizando o aplicativo em Niterói.

Procurada em seu escritório em São Gonçalo, a Uber não se pronunciou. Já a Prefeitura confirmou que o pedido da criação do aplicativo não chegou à prefeitura e encaminhou a demanda. “Favor procurar a associação ou o sindicato dos taxistas de Niterói, que eles podem te dar mais informações sobre isso”, disse em nota.

Fonte: Wellington Serrano – A Tribuna

Notícias Relacionadas