Taxa de ocupação dos leitos apresenta queda em Maricá

Hospital Che Guevara Foto: Ruy Machado / ErreJota Notícias

A taxa média semanal de ocupação de leitos, disponíveis para Covid-19, em Maricá, apresentou um leve recuo. De acordo com a secretaria de Saúde, no período de 07 a 13 de abril compreendendo os hospitais Conde Modesto Leal e Dr. Ernesto Che Guevara, além da UPA de Inoã, foi de 65,03%, sendo 19,28% de pacientes de outros municípios. Na semana anterior foi de 71,19%, sendo 4,28% de pacientes de outros municípios.

Desde o início da pandemia, em março do ano passado, a faixa etária predominante entre os casos confirmados sempre foi a de idosos acima dos 60 anos. Hoje, um ano depois, a tendência ainda se mantém, mas um alerta importante vem da área médica: proporcionalmente o crescimento dos casos de Covid-19 entre os jovens passou a ter maior relevância, por força principalmente do desafio às restrições necessárias para impedir o avanço do contágio.

Aglomerações e a rejeição ao uso obrigatório de máscaras em recintos coletivos ou em ambientes públicos estariam entre as violações mais frequentes cometidas por indivíduos dessa faixa etária e objeto principal da fiscalização.

Em Maricá, a percepção de mudança de perfil acontece em outro ritmo quando este é comparado ao que se registra em capitais como São Paulo e Rio. “Mas temos de manter um foco constante nesse contingente, que nos preocupa”, analisa a secretária de Saúde, Simone Costa e Silva.

A preocupação com esse avanço já motivou ações específicas por parte da Prefeitura, no tocante ao respeito às normas. Equipes da Secretaria de Participação Popular, Direitos Humanos e Mulher, uma pasta com frequente interlocução com esse público, estão percorrendo locais frequentados por pessoas mais jovens com um trabalho principalmente de conscientização.

“Mais do que distribuir máscaras, essa ação é para preservar vidas. Isso a gente tem feito desde o primeiro momento, no ano passado, através do Comitê de Defesa dos Bairros (CDB) e vai continuar fazendo enquanto houver pandemia, para trazer essa clareza à população de que não existe um momento específico para se utilizar máscara. A pandemia ainda não acabou”, garante o secretário da pasta, João Carlos de Lima, o Birigu.

Notícias Relacionadas