“Tenho o objetivo de viabilizar a construção das barcas em São Gonçalo”, afirma Quaquá

Foto: Reprodução / Facebook "Washington Siqueira"

Em entrevista ao jornal “O São Gonçalo”, o ex-prefeito de Maricá e candidato à deputado federal Washington Quaquá (PT) afirmou que uma de suas propostas para o município gonçalense é viabilizar a construção de um terminal de barcas em São Gonçalo, reivindicação antiga dos moradores. Quaquá também falou de outras propostas para a cidade.

“Uma das nossas prioridades é aumentar o contingente policial nos bairros Jardim Catarina e Salgueiro, principais focos de violência da cidade. Além disso, tenho o objetivo de viabilizar a construção das barcas, em São Gonçalo, e trazer recursos e renda para o município. Mas lógico, não vamos esquecer de recursos para Niterói, Itaboraí e Maricá, com alto investimento em infraestrutura e qualidade de vida”, afirmou o petista.

Quaquá falou ainda de seus projetos na Câmara dos Deputados. “Um dos meus projetos é a valorização do petróleo brasileiro, uma das maiores riquezas do país. Nos últimos anos, o nosso patrimônio foi deteriorado por interesses do exterior, o que acabou gerando um alto número de desempregos, principalmente nos municípios de São Gonçalo e Itaboraí. Quero resgatar o nosso patrimônio nacional e, com o dinheiro arrecadado, investir em educação e saúde no Brasil”, afirmou.

O ex-prefeito de Maricá acredita que pode mudar a história do município fazendo melhorias em áreas-chave. “Vamos com o apoio do futuro presidente Fernando Haddad, mudar a história de São Gonçalo, através de melhorias na saúde, educação e, principalmente, a segurança pública, que está abandonada na cidade”, pontuou.

Vale lembrar que a linha São Gonçalo-Praça XV não foi incluída no novo edital de licitação para concessão do serviço de transporte aquaviário do Estado do Rio. De acordo com o previsto no edital, a implantação da linha social será apenas estudada pela nova concessionária em um ano após o início da nova gestão. Caso os novos estudos indiquem a viabilidade técnica, econômica, financeira e ambiental, o poder concedente irá autorizar as suas implantações pela nova concessionária.

Notícias Relacionadas