Rio de Janeiro,

quinta-feira, junho 24, 2021
spot_img

Leia a nossa última edição #37

Vacina que pode ser comprada por Maricá e Niterói é eficaz contra cepa brasileira, apontam estudos

Mais lidas

Estudos realizados pelo Instituto de Virologia da Universidade Nacional de Córdoba (Argentina) e pelas autoridades de Córdoba apontam que a Sputnik V, vacina que Maricá e Niterói já firmaram protocolos de intenções para comprar e imunizar suas populações, é eficaz contra a variante brasileira do coronavírus, denominada “P1”. O imunizante já criaria anticorpos contra a variante logo na primeira aplicação.

De acordo com o estudo, 85,5% dos indivíduos desenvolveram anticorpos no 14º dia após a aplicação da primeira injeção de Sputnik V. O estudo aponta, ainda, que 99,65% dos indivíduos desenvolveram anticorpos IgG para coronavírus no 42º dia após a aplicação da segunda injeção da vacina.

“O estudo realizado na Argentina confirmou a alta eficácia da vacina Sputnik V contra novas cepas de coronavírus. Agora vemos que o uso do medicamento ajuda a proteger a população não só contra as conhecidas, mas também contra novas variantes do vírus, inclusive a brasileira. Uma forte resposta imunológica se forma já após receber a primeira dose da vacina”, declarou Kirill Dmitriev, CEO do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF).

Maricá foi uma das primeiras cidades do país a anunciar a compra de doses da Sputnik V. O anúncio da assinatura do contrato para a compra de 500 mil doses foi realizado pelo prefeito Fabiano Horta em 19/03. No dia 31/03, foi a vez do prefeito Axel Grael anunciar a compra de 800 mil doses do imunizante.

LEIA MAIS: Maricá protocola novo pedido de importação da Sputnik V

Desenvolvida pelo laboratório Gamaleya, a vacina Sputnik V alcançou eficácia de 91,6%, segundo estudo publicado pela revista científica The Lancet. O estudo mostrou, ainda, que 21 dias depois da aplicação da primeira dose, o imunizante foi 100% eficaz na prevenção de casos graves e de mortes. A Sputnik V está registrada e autorizada para uso em 66 países. É o segundo imunizante que mais recebeu aprovações dos órgãos reguladores governamentais em todo o mundo.

spot_img

Últimas noticias