Vereador Chiquinho usa tribuna da Câmara de Maricá para agradecer a Deus por impugnação de Quaquá

O vereador Chiquinho (PP) usou a tribuna da Câmara de Vereadores de Maricá durante a sessão desta quarta-feira (28/11) para comemorar a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de proibir o ex-prefeito Washington Quaquá de assumir o mandato de deputado federal. Quaquá obteve mais de 74 mil votos nas eleições de outubro. 

Chiquinho, antigo aliado de primeira hora de Quaquá, agradeceu a Deus a proibição. “Quero agradecer a Deus. Deus tarda e mas não falha”, disse. 

Ricardinho Netuno (Patriotas) também usou o microfone para comentar a impugnação. 

“Eu acompanhei a votação do recurso do ex-prefeito Quaquá no qual a justiça negou o seu recurso por 7 a 0, uma goleada. O ex-prefeito Quaquá já demonstrou publicamente que é um irresponsável, além de mentiroso, pois mais uma vez enganou a população da nossa cidade com a população do Estado do Rio de Janeiro. Nós temos aqui, eu trouxe para essa Casa diversas condenações em segunda estâncias, diversos crimes praticados e um deles foi por dar aumento salarial aos funcionários da prefeitura. E ele vem se fazer de vítima em cima disso, como se fosse um injustiçado só que ele não explica que esse aumento foi no período eleitoral. Ele tinha oito anos para dar aumento salarial para os funcionários e esperou a época da campanha, aonde a legislação não permite, cometendo crime mais uma vez e está pagando por isso”, completa Ricardinho.

Os vereadores aliados não perderam tempo e defenderam o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores. O líder do Governo na Câmara, Fabrício Bittencourt (PTB), lembrou as conquistas do ex-prefeito e lamentou a decisão da Justiça e afirmou que Maricá perde um forte representante em Brasília.

“Gostaria de esclarecer que o ex-prefeito Washington Quaquá, eleito a deputado federal com 74 mil votos, teve uma votação em Maricá de 27 mil votos, foi o maior prefeito da nossa história. Ele construiu um legado na nossa cidade devastada pelos antigos governos e que por uma questão judicial, por dar aumento a funcionário, ficou impossibilitado de assumir a cadeira de deputado. Enfim, é um decisão judicial, e tem que ser respeitada, porém quem perde é o povo de Maricá e o povo do Estado do Rio de Janeiro, pois perde um representante da nossa cidade que o povo de Maricá votou maciçamente, que vai deixar de ter um representante em Brasília, onde teria, no mínimo, em quatro anos de mandato, quarenta milhões de emenda parlamentar”, discursou.

Os vereadores Rony Petereson (PR), Tatai (PTB), RobGol (PT) e Marcus Bambam (PV) também defenderam o ex-prefeito e lamentaram a decisão.

Notícias Relacionadas