Vereadores repercutem saída de médicos cubanos de Maricá

Foto: Divulgação / ASCOM Câmara de Maricá

Foto: Divulgação / ASCOM Câmara de Maricá

A saída dos médicos cubanos do Programa Mais Médicos que atuavam na cidade foi tema de debate durante sessão ordinária ocorrida nesta segunda-feira (26/11) na Câmara Municipal de Maricá. Os vereadores elogiaram o tratamento dados aos maricaense e lamentaram o fim da prestação de serviços de cinco profissionais que trabalhavam na cidade. “Quero fazer menção aos médicos cubanos que estiveram em nosso país. Nesse momento temos que separar a Direita, Esquerda e o Centro e dizer que eles cruzaram os mares e estiveram nas áreas mais remotas do Brasil e fizeram um trabalho com excelência. Quero agradecer aos médicos que estiveram em nossa cidade fazendo um grande trabalho”, disse Rony Peterson (PR).

O presidente da Câmara, Aldair de Linda (PT), anunciou que a prefeitura formará mais de 20 equipes de saúde para a prevenção de doenças. “Estive com o prefeito agora pela manhã e ele me informou que serão formadas 21 equipes de saúde distribuídas nos quatro distritos para a prevenção de doenças. Serão ACSs, médicos e enfermeiros para a prevenção para a doença”, explicou.

O vereador Tatai (PTB) pediu que a Secretaria de Saúde providencie mais um profissional da saúde para o posto de Santa Paula. “No posto havia uma médica cubana que foi embora. Quero pedir que a secretária olhe com carinho e não deixe aquele posto apenas com um médico”.

O vereador Felipe Paiva (PCdoB) falou da saída dos profissionais. “Acompanhei hoje um jornal e vi que mais de mil municípios perderão parte de sua equipe médica. Mais de 500 cidades ficarão sem médico algum, ou seja, pessoas vão morrer. Quem vai pagar esse preço é o povo pobre”.

Notícias Relacionadas