Violência doméstica: aumento de subnotificação motiva ação de empresas

Dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgados nesta sexta (05) apontam que houve uma diminuição no registro de casos de violência doméstica durante os primeiros meses da pandemia. Foram levados em consideração dados colhidos entre 13/03 a 30/04. Os dados são provenientes dos registros de ocorrência da Polícia Civil, das ligações para o Serviço 190 da Polícia Militar e das ligações para a Central de Atendimento do Disque Denúncia (2253-1177).

No período analisado, o número de registros de ocorrências realizados nas delegacias de polícia no estado apresentou queda em relação ao mesmo período do ano passado. Essa diminuição pode ter sido provocada por conta da restrição à circulação das pessoas, resultando na subnotificação dos casos. A redução para todos os indicadores (violências Física, Sexual, Psicológica, Moral e Patrimonial) foi de, pelo menos, 40%.

Pensando em ajudar no combate a esses crimes, diversas empresas tem criado ferramentas para ajudar que as denúncias sejam feitas. Magazine Luiza, Avon e Uber são algumas das empresas a nível nacional que adotaram práticas e lançaram mão de ferramentas para ajudar a mulheres vítimas de violência doméstica.

Em Maricá, uma empresa do ramo de administração de imóveis e imobiliária, a “Renato Imóveis”, implantou em seu site uma plataforma que coloca a mulher vítima em contato com quem possa defendê-la. Além de disponibilizar contato direto com o Disque 180, há também a o WhatsApp da Casa da Mulher, mantida pela Secretaria de Participação Popular, Direitos Humanos e Mulher de Maricá.

A plataforma funciona dentro do site da administradora de imóveis (clique aqui). Na página, a vítima deve clicar em “Denuncie Violência Contra a Mulher”, e será redirecionado para uma página com dois botões: um com o contato da Casa da Mulher Maricá, outro direcionando para o Disque 180.

“Somos uma imobiliária na cidade, e não tem nenhuma relação com a questão, porém buscamos sempre estar antenados aos acontecimentos externos, visando sempre, inclusive, responsabilidade social”, comentou o sócio-administrador da empresa, Renato Verino. “O objetivo é justamente maximizar as possibilidade para que as mulheres, vítimas de agressão, possam buscar ajuda, serem orientadas e receber todo suporte que precisem”, completou.

Renato comentou a parceria feita com a Prefeitura de Maricá. “Além da opção de redirecionamento para o 180, implementamos um link direto com o WhatsApp da Casa da Mulher Maricá. Desta forma, a mulher que esteja sofrendo agressão, conseguirá pedir ajuda pelo WhatsApp, sem que seu parceiro saiba. O que, algumas vezes, por telefone via ligação, não é possível”, apontou Renato.

A presidente da OAB Mulher Maricá, Dra. Kelly Nery, afirmou ter ficado muito feliz com a proposta. “Ficamos muito felizes com essa iniciativa pois mostra que além de ser uma empresa referência na cidade, se preocupam em exercer sua responsabilidade social”, elogiou. Renato entrou em contato com a comissão e contou sobre a iniciativa, que conta com a aprovação da responsável pela Casa da Mulher, Luciana Piredda.

Para Renato, a responsabilidade de lutar pelo fim da violência contra a mulher é responsabilidade de todos. “Só existe uma covardia maior que a violência contra a mulher: calar-se diante dela. É hora de mostrar que não toleramos este tipo de ação, não ficamos de braços cruzados. Sendo a agressão física ou psicológica, não se cale. Lute. DENUNCIE. Nada é mais forte do que uma mulher que se reconstruiu!”, conclui.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.