spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #72

spot_img
spot_imgspot_img

Levantamento aponta que Niterói é uma das cidades que mais pedem medidas protetivas

spot_imgspot_img

Mais lidas

Na manhã desta quinta-feira (09/03), aconteceu a reunião do Conselho Comunitário de Segurança Pública em Niterói, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas da cidade (CDL-Niterói). Segundo a Tenente Paula do 12° batalhão, Niterói é uma das cidades em mais de pedem medidas protetivas porque as pessoas confiam no trabalho da equipe de segurança.

“Buscamos sempre o apoio integrado com toda a nossa rede do 12°, por exemplo. Então, as vítimas de casos mais graves nós passamos para a nossa estação de rádio, para que eles passem para todas as viaturas e esse atendimento seja realizado o mais rápido possível. Então dentro dos recursos que nós temos, nós colocamos as patrulhas para sempre atenderem esses caos com maior prioridade. E nós realizamos depois todo acompanhamento”, afirmou a tenente Paula.

Foto: Juliana Palmeirim

No dia seguinte ao Dia Internacional das Mulheres, a tenente ainda destaca a importância da Lei Maria da Penha de assistência à mulher em situação de violência doméstica e familiar será prestada de forma articulada e conforme os princípios e as diretrizes previstos. “Temos um grande orgulho da Lei Maria da Penha. Nós não tivemos nenhum feminicídio de mulheres atendidas por nós nos últimos anos e isso é uma coisa que nós temos muito orgulho. Se a gente parar para pensar que nós estamos desde 2019 nesse formato e não tivemos nenhuma vítimas de femminicídio então a gente entende que é um grande resultado”, completou a tenente Paula.

No processo de medida protetiva, é realizado uma tentativa de contato por telefone e, se não forem atendidos, a equipe vai até o endereço residencial da vítima. Com isso, a mulher que nesse momento estiver nessa situação tem total apoio da prefeitura e daspolíticas públicas para que ela possa estar sendo protegida.

Para finalizar, a tenente afirma que a violência doméstica é uma questão social e por isso é necessário trabalhar a educação em Niterói. “A violência doméstica vem de valores passados e ensinados para cada um durante o seu desenvolvimento, e precisamos trabalhar isso em cima da educação”, pontuou a tenente.

O vereador Fabiano Gonçalves, que estava presente no evento, ressaltou que a Prefeitura de Niterói promove mil reais de auxílio para mulheres vítimas de violência doméstica.

Quadro comparativo de dados entre o ano de 2022 e 2023. Foto: Juliana Palmeirim

No evento, também foi discutida a questão da segurança de Niterói e as ações realizadas para combater atos criminosos, como roubo de veículos. O comandante do 12° batalhão afirmou que o trabalho dos policiais está sendo realizado com afinco e tem trazido bons resultados, um exemplo disso é que eles obtiveram uma média de 70 à 80 presos por mês no último ano.

“Nós temos encontrado muita resistência nas comunidades onde a pessoa tem resistido e vindo a fatalidade. Mas nós da polícia temos realizado o nosso trabalho com exatidão”, disse o comandante do 12°BPM.

*estagiária sob supervisão de Raquel Morais

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img