Diferença de preços dos combustíveis em Maricá pode chegar a 20%

Divulgação
Divulgação

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) divulgou em seu site o levantamento de preços dos combustíveis realizado no período de 23/12/2018 a 29/12/2018, em Maricá. De acordo com a ANP, a diferença de valor na Gasolina pode chegar a 13%. Quando o assunto é Etanol o percentual chega a 20%. No Diesel os valores registrados mostram a diferença de 10%. 

De acordo com os dados da agência, a Gasolina mais barata e a mais cara é encontrada em Inoã, respectivamente R$ 4,599 e R$ 5,199. Os dois postos que comercializam o produto estão situados na Rodovia Amaral Peixoto. Se levarmos em consideração o abastecimento de um veículo com capacidade de 50 litros e seu tanque, a economia  será de R$ 30. 

No Etanol, o preço mais em conta está em Inoã – R$ 3,099 e o mais caro no bairro Mumbuca, R$ 3,749. Se levarmos em consideração o abastecimento de um veículo com capacidade de 50 litros e seu tanque, a economia  será de R$ 32,50. 

Já para quem busca abastecer com Diesel o preço mais barato está no Recanto, R$ 3,449. O mais caro fica em Inoã, R$ 3,799. Se levarmos em consideração o abastecimento de um veículo com capacidade de 50 litros e seu tanque, a economia  será de R$ 17,50. 

REDUÇÃO – Pelo segundo dia seguido, a Petrobras reduz o preço da gasolina vendida nas refinarias. Nesta sexta-feira (4), a empresa está negociando o litro do combustível a R$ 1,4537. Ontem (3) a estatal já havia reduzido o preço de R$ 1,5087 para R$ 1,4675.

De acordo com a Petrobras, a política de preços da empresa para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras “tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo”.

Segundo a estatal, essa “paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”.

A Petrobras informa ainda que “o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços)”.

 

Notícias Relacionadas