Estado pode estender medidas de isolamento social por mais 60 dias

Durante a entrega do Hospital Oceânico, em Niterói, o governador do Estado, Wilson Witzel, por teleconferência, disse que as medidas de isolamento social podem ser estendidas por mais 60 dias para circulação de pessoas e preparar as unidades de saúde. Witzel falou que é necessário agir com rigor, ponderando o direito à vida e o direito à liberdade.

“No momento, o mais importante é preservar vidas e o mundo todo está tomando essas providências e se preparando para poder atender as pessoas que mais vão precisar. O momento é difícil, mas vamos ter que manter essas restrições por mais uns 60 dias, com um protocolo para circulação de pessoas, mas até lá precisamos manter o isolamento e preparar as unidades de saúde. Precisamos agir com rigor nesse momento. Temos que ponderar, o direito à vida e o direito à liberdade. O direito à vida é o mais importante nesse momento. Sempre repito, nós conseguimos recuperar empresas, mas pessoas não conseguiremos ressuscitar. Precisamos fazer nosso papel como cidadãos e como governantes que somos, desde que assumimos esse papel, o nosso dever é de cuidar das pessoas”, explica o governador.

O Secretário de Saúde do Rio, Edmar Santos, reforçou o coro e o pedido do isolamento social.

“Em respeito aos profissionais de saúde que estão na frente dessa batalha, permaneçam em casa. Não é hora de ir à praia, dar uma voltinha no calçadão, corrida ao ar livre, pois isso, nesse momento, não representa saúde e sim um risco não apenas para quem faz, mas todas as comunidades. Àqueles que podem seguir o isolamento, fiquem em casa”, disse o secretário Edmar.

Novo Hospital em Niterói

Já está em funcionamento o Hospital Oceânico, em Piratininga. Esse é o primeiro hospital de referência inaugurado apenas para atender casos graves de coronavírus. Nesta primeira fase, já estão disponíveis 40 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) equipados com respiradores. A expansão das vagas vai acontecer de forma gradativa, conforme a evolução do número de casos na cidade, e chegará a 140 leitos.

Vale lembrar que esta unidade de saúde não funcionará de portas abertas. Pacientes que sentirem sintomas mais forte, como uma falta de ar, precisarão procurar uma das quatro unidades referenciadas na cidade: Hospital Municipal Carlos Tortelly, Hospital Municipal Mário Monteiro e as Policlínicas da Engenhoca e do Largo da Batalha.

“Esse é o primeiro hospital referência apenas para tratar da Covid-19 inaugurado no Rio de Janeiro. Já temos equipes qualificadas e protocolos de saúde devidamente regulamentados prontos para salvar vidas de muitos niteroienses. Preciso ressaltar que esse hospital não é de emergência aberta. Se você está sentindo sintomas leves como tosse, fique em casa. Caso sinta algo mais forte, como uma falta de ar, procure uma das quatro unidades referenciadas. Apenas os casos mais graves serão encaminhados dessas unidades para o novo hospital. Preciso lembrar que o mais importante é a atitude de cada cidadão de Niterói de perseverar em casa porque os próximos dias serão muito trágicos. Precisamos atravessar esse período salvando o máximo de vidas. Permaneçam em casa”, explicou o prefeito Rodrigo Neves.

Hospital pronto em 20 dias – O novo hospital foi construído pela iniciativa privada, nunca foi inaugurado e estava fechado há dois anos quando foi arrendado pela Prefeitura como mais uma das medidas para garantir o auxílio médico para a população da cidade durante a pandemia do novo coronavírus.

A Prefeitura realizou um trabalho de adequação das instalações e compra e implantação de equipamentos para a unidade entrar em operação. Além disso, o Hospital Carlos Tortelly também foi ampliado e atualmente conta com um novo Centro de Tratamento Intensivo (CTI) com 14 leitos exclusivos para casos de coronavírus, todos com respiradores, além de enfermaria destinada apenas para pacientes com a doença.

Notícias Relacionadas

 

 

 

 

 

 

 

ID do anuncio invalido ou não publicado.