Rio de Janeiro,

quarta-feira, agosto 4, 2021
spot_img

Leia a nossa última edição #39

Indústria do petróleo irá investir 400 milhões de dólares no Rio de Janeiro

Mais lidas

A multinacional francesa de petróleo Perenco pretende investir US$ 400 milhões no Rio de Janeiro até 2024. Os investimentos confirmam um horizonte positivo para a indústria de petróleo no Rio de Janeiro e, principalmente, a expectativa de geração de empregos, arrecadação de impostos e royalties para o Estado e municípios.

Segundo o diretor de Relações Institucionais da Perenco, Leonardo Caldas, os recursos serão utilizados para revitalizar os ativos, com fortes investimentos na substituição de dutos (para restaurar a capacidade de escoamento da produção), na reforma de plataformas de produção, na recuperação de poços e na atualização de sistemas de processamentos.

“Nosso plano de desenvolvimento prevê investimentos firmes da ordem de US$ 193 milhões e mais US$ 200 milhões contingentes, que podem fazer os investimentos totais atingirem US$ 393 milhões até 2024”, afirmou Caldas.

Os investimentos deverão acontecer até 2024 e, juntamente com a extensão da vida útil dos campos até 2040, têm o potencial de gerar milhares de empregos diretos e indiretos no setor, sobretudo no Norte Fluminense e, principalmente, em Macaé.

“A oportunidade de desenvolvimento dos ativos representa um objetivo comum entre o estado do Rio e a Perenco no sentido de movimentar a economia, gerando arrecadação, emprego, renda e riquezas para a sociedade fluminense”, reforçou o diretor geral da Perenco, Yves Postec.

Desde 2015 os municípios de Campos dos Goytacazes e Macaé perderam 50 mil empregos em diversos setores, devido à política de desinvestimento da Petrobras na Bacia de Campos.

Para o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Leonardo Soares, os investimentos confirmam a expectativa de geração de empregos, arrecadação de impostos e royalties para o Estado e municípios.

“Ainda há muito óleo para ser extraído nesse tipo de ativo, que já possui reservatórios descobertos e infraestrutura instalada, o que pode atrair empresas nacionais e internacionais de todos os portes e beneficiar municípios como Campos dos Goytacazes, Macaé e Rio das Ostras”, afirmou Soares, que destacou o lançamento, na semana passada, do Programa de Revitalização e Incentivo à Produção de Campos Marítimos (Promar).

spot_img

Últimas noticias