“Maricá das Mulheres” reforçam necessidade de representatividade feminina na Câmara

Fotos: Divulgação / Portal 65

As ruas do Centro de Maricá foram tomadas, na manhã neste sábado (24), por dezenas de mulheres que querem fortalecer candidatas femininas da cidade. Através do movimento suprapartidário “Maricá das Mulheres”, o ato contou com a presença de diversas postulantes ao Legislativo municipal, que buscam quebrar um monopólio masculino de 20 anos na Câmara de Maricá.

Além das candidatas, o ato deste fim de semana contou com a presença de Diego Zeidan (PT), que é candidato à vice-prefeito na chapa de Fabiano Horta (PT). O evento – relacionado à Caminhada Outubro Rosa – faz parte de uma iniciativa proposta por movimentos sociais feministas da cidade e foi aderido por candidatas.

Presidente municipal da União Brasileira de Mulheres (UBM) e candidata pelo PCdoB, Mãe Simone destacou que a união feminina é fundamental para mudar o quadro atual de exclusividade masculina no grupo de políticos que decidem pelo município.

“Essa união é de suma importância para nós, mulheres da cidade. Quando as mulheres nos veem reunidas, elas veem que a gente têm um propósito e que estamos querendo, realmente, ocupar espaço para termos políticas públicas efetivas próximas de nós, pois somos nós que conhecemos nossas necessidades. É muito importante termos essa visibilidade e a cidade enxergar a gente. Esse movimento mostra que Maricá tem mulher e vai ter mulher na Câmara, sim”, destacou.

A também candidata pelo PCdoB Rafaela Lima acredita que é fundamental que as mulheres tenham voz não apenas no Legislativo municipal, mas sim ter força na sociedade em geral. “Primeiramente, precisamos da democratização desse espaço de poder e de tomada de decisão. Não podemos colocar uma mulher lá dentro apenas de uma forma simbólica, mas sim com representatividade e ativismo. Não é estar somente ali na Câmara de Vereadores, mas é estar e conseguir dialogar, fazendo essa ponte entre a sociedade civil e os Poderes Executivo e Legislativo. Falta uma voz da mulher lá dentro”, analisou.

Rafaela, que é estudante de Ciências Políticas, reforçou a importância da participação feminina no processo de decisão para que a mulher sinta-se, cada vez mais, partícipe do meio em que vive. “Muitas vezes temos homens decidindo por nós. Nem sempre a pessoa defende o que realmente o outro está precisando. Leonardo Boff tem uma frase muito interessante na qual ele diz: ‘a cabeça pensa a partir de onde os pés pisam’. Então, se a pessoa não faz parte daquela comunidade que tem tais necessidades, ela não vai conseguir levar essas necessidades para esses espaços”, concluiu.

 

 

Notícias Relacionadas