spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #72

spot_img
spot_imgspot_img

Maricá expande projeto de sustentabilidade do bairro do Condado para Escolas Municipais

spot_imgspot_img

Mais lidas

O bairro Condado é local onde teve início, em Maricá, o projeto de sustentabilidade, educação ambiental e iniciativa para uma alimentação saudável na cidade.

O espaço conta com uma horta onde são plantados diversos legumes e verduras, como alface (americano, roxo e o tradicional), berinjela, alho-poró, cebolinha, entre outros.

Plantação de cebolinha do projeto
Foto: Pâmela Oliveira

O projeto é feito em conjunto com a Prefeitura e com a Secretaria de Obras (Somar), beneficia a cidade de Maricá. Esta iniciativa, que conta com o apoio do vereador Danilo Santos, evita o descarte incorreto de lixo.

Os moradores do Condado podem ir ao local com seus restos de comida (cascas de batata, de cebola, cenoura, etc.) para trocar por mudas de plantas, para que seja feita a compostagem.

O projeto, também faz a entrega destes alimentos para instituições, como a Residência para Idosos “Cantinho da Roça” o Convento “Irmãs de Nossa Senhora do Bom Conselho” e o Núcleo de atividades recreativas e interativas para jovens adultos especiais (Nair).

Pessoas com obesidade morbidade e pessoas com câncer também recebem doações, para auxiliar na saúde com um alimento que é completamente natural, orgânico.

Agora, esta iniciativa está sendo instaurada em Escolas Municipais da cidade de Maricá. Hoje, sexta-feira (25), o projeto esteve em Itaipuaçu, fazendo a plantação de uma horta na Escola Municipal Mata Atlântica, no Recanto.

O presidente da Associação de Moradores do Condado e coordenador da Equipe de Conservação do Condado e do Marquês de Maricá, Charles Carvalho, explicou um pouco sobre o projeto.

Coordenador do projeto, Charles Carvalho
Foto: Pâmela Oliveira

“A gente limpou a área e começamos a fazer a horta ali em cima. Na realidade nós começamos a fazer porque a gente trabalha com roçada, capim e varrição, aí acumulava aquele resíduo de mato num saquinho e aí demorava a ser retirado. Começamos a pegar aquele material, trazer pra área e começar a fazer o trabalho de compostagem”, explicou.

O coordenador também explicou um pouco sobre o que inspirou a implementação desta iniciativa nas escolas municipais.

“As crianças nas escolas começaram a visitar o espaço e começaram a pedir para os professores começarem a fazer esse tipo de trabalho dentro das escolas. Algumas escolas me procuraram e eu comecei a realizar este trabalho dentro das escolas. Nós já fizemos horta em três escolas”, concluiu o presidente Charles Carvalho.

*estagiária sob supervisão de Lucas Nunes

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img

Últimas notícias

spot_imgspot_img
spot_imgspot_img
spot_imgspot_img