Orla de Maricá ganha novos postos de salva-vidas

Oito novos postos de observação estarão prontos e inaugurados na orla de Maricá, até o fim do verão. Cada posto terá dois metros de altura por dois de largura, capacidade para quatro pessoas, e um banheiro na parte de baixo.

De acordo com a prefeitura, o projeto além de oferecer melhores condições de trabalho para os salva-vidas, não agride a vegetação, já que são feitos de madeira de reflorestamento.

Montado em esquema de mutirão pelos próprios agentes no horário de folga, o primeiro posto de observação foi erguido na praia de Cordeirinho, altura da Rua 114.

De acordo com o coordenador técnico da Defesa Civil, major Wellington Dias, a proposta, além de dar melhor condições de trabalho aos agentes, é montar postos de observação ecologicamente corretos.

“A ideia é que esses locais estejam no sistema da praia sem agredir o ambiente, por isso que as madeiras utilizadas para a construção dos postos são todas de reflorestamento, doadas pela Somar (autarquia  de Serviços de obras de Maricá). Fizemos questão de escolher pontos onde não houvesse destruição da vegetação de restinga – nativa da região”, explicou.

Ainda de acordo com o major Dias, cada posto servirá como ponto de referência e segurança nas orlas.

“Vamos colocar placas em cada um dizendo qual posto é e qual rua é para a pessoa se localizar. Nós esperamos, no futuro, que além de dar maior segurança aos banhistas, que os postos sirvam como ponto de referência – como acontece na Zona Sul do Rio, onde você se localiza pelo posto um, posto dois e assim sucessivamente”, completou. 

Alex Mendes, 41, é um dos agentes de salvamento da Defesa Civil que participou ativamente do mutirão para montar o posto de Cordeirinho. Segundo ele é uma realização fazer parte do projeto. “Eu me sinto realizado em participar porque os postos de observação vão garantir uma melhora significativa no nosso trabalho, além de deixar esse legado para os próximos servidores”, concluiu. 

Notícias Relacionadas