Vereador pode propor CPI contra a Enel em Maricá

Foto: Divulgação / ASCOM Câmara de Maricá

Foto: Divulgação / ASCOM Câmara de Maricá

O vereador Cemar (SD) poderá propor, assim que terminar o recesso legislativo, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar irregularidades da concessionária de energia elétrica Enel, responsável pelo abastecimento energético da cidade. A informação foi confirmada pelo próprio vereador.

“A CPI está em estudo. Tenho que conversar, ainda, com o vereador Marcinho da Construção (DEM), que é o presidente da Comissão Parlamentar de Defesa do Consumidor, e com o presidente da casa Aldair de Linda (PT). A CPI não é minha, é do povo de Maricá, que não aguenta mais os desmandos da Enel”, explicou Cemar.

Segundo o vereador, são várias as reclamações dos munícipes; cobranças exorbitantes, falta de tensão, falta de energia, dentre outras. “A Enel trabalha, hoje, com a realidade de uma Maricá de 20 anos atrás. A realidade da cidade muda a cada dia devido ao desenvolvimento que está acontecendo. A demanda cresceu e a concessionária não acompanhou”, disse..

O vereador esteve presente em uma das reuniões promovidas por Robinson Assis (foto), cidadão insatisfeito com os maus serviços praticados pela Enel. Ele está colhendo assinaturas online para abalizar uma ação civil pública. Até o fechamento dessa matéria, 458 pessoas assinaram a petição – vale lembrar que estão engajadas, no movimento, cerca de 650 pessoas. Quem quiser assinar, pode fazê-lo clicando aqui.

A próxima reunião do movimento acontecerá no dia 02/02 (sábado), às 18h, na Praça dos Pescadores, em Guaratiba. Robinson pede que os cidadãos que queiram fazer parte da ação judicial, precisam levar cópia dos documentos e das 12 últimas contas de energia para análise de consumo técnico. Vale lembrar que advogados estarão no local analisando caso a caso.

UNIÃO DE FORÇAS

A subseção Maricá da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Maricá) também oficiou a concessionária sobre os abusos praticados na cidade. No documento, assinado pelo presidente Eduardo Carlos de Souza, a entidade questiona a concessionária sobre os aumentos que “ocorrem num momento de vulnerabilidade da economia brasileira, cujos efeitos impactam direitos constitucionais, consumeristas e econômicos basilares de milhares de pessoas físicas e jurídicas”.

Para a OAB Maricá, “a oneração da tarifa abusiva de tarifas de serviços necessários pode ser causa de consequências incalculáveis à vida de milhões de clientes residenciais, comerciais, industriais e públicos do Município de Maricá da pela Enel Distribuição Rio”.

O Procon Maricá foi outro órgão que notificou a Enel pelo desserviço prestado na cidade. Segundo o órgão de proteção e defesa do consumidor, alguns bairros ficaram cerca de 12 horas sem luz na última semana.

A coordenadora do Procon, Angélica Spíndola, comentou o próximo passo. “O Procon vem tomando todas as medidas necessárias para que a Enel seja punida pelas irregularidades cometidas na má prestação do serviço em nosso município”, disse Angélica. “O Procon está apurando as irregularidades para ajuizar uma ação contra a Enel”, completou a coordenadora.

Notícias Relacionadas