Rio de Janeiro,

sábado, setembro 18, 2021
spot_imgspot_img

Leia a nossa última edição #40

Maricá retoma vacinação de adolescentes com comorbidades e deficiência

Mais lidas

A cidade de Maricá começa a imunizar pessoas com 27 anos ou mais nesta quarta-feira (11). Já na quinta-feira (12) é a vez de quem tem 26 anos e na sexta-feira (13) os adultos com idades entre 25 anos ou mais receberão a primeira dose (D1) do imunizante. Os adolescentes com idade entre 12 e 17 anos com comorbidades e deficiências permanentes voltam a ser imunizados

A aplicação da segunda dose (D2) está mantida de acordo com o calendário de vacinação. Para as gestantes, puérperas e lactantes com ou sem comorbidades, de 18 anos ou mais, a vacinação permanece no Posto de Saúde Central as terças e quintas-feiras, de 9h às 12h. Para receber o imunizante devem apresentar um documento com foto e atestado, declaração ou laudo médico que são lactantes ou a prescrição médica.

Já os que precisam tomar a primeira e a segunda dose podem procurar: a Unidade de Saúde da Família (USF) Central; USF Marinelândia; Escola Municipal Rynalda Rodrigues da Silva; USF Chácara de Inoã; Escola Municipal Marquês de Maricá; USF Jardim Atlântico; Unidade Volante de Vacinação (UVV) Aeroporto de Maricá; e UVV Centro Administrativo da Prefeitura em Itaipuaçu. É preciso levar documento de identificação com foto; CPF ou cartão do SUS; assim como um comprovante de residência do município de Maricá.

Adolescentes-

Os adolescentes com idade entre 12 e 17 anos com comorbidades e deficiências permanentes voltam a ser imunizados nos pontos montados pela Secretaria de Saúde, que funcionam de 9h às 16h na Escola Municipal Rynalda Rodrigues da Silva (Rua Uirapurus, Flamengo) e na Escola Municipal Marquês de Maricá (Rua Douglas Marques Rienti – antiga Rua 83, Jardim Atlântico Leste, Itaipuaçu).

Para receber a dose, é necessário levar laudo, declaração, atestado ou perícia médica que comprove a comorbidade; resultado de exame que comprove a condição; receita ou prescrição de medicamentos para tratamento, datada no ano de 2021 ou duas de outros anos; evidência física da comorbidade; além de documento de identificação com foto, CPF e cartão do SUS (se tiver).

spot_img
spot_img

Últimas noticias