Buracos da Rua Van Lerbergue (antiga 34) causam transtornos aos moradores de Itaipuaçu

Foto: Diogo Fernandes

Foto: Diogo Fernandes

Suspensão quebrada, amortecedores danificados e pneus estourados são os principais problemas que motoristas precisam enfrentar por transitar em determinadas ruas de Itaipuaçu. Mesmo asfaltada, a Rua Van Lerbergue, antiga Rua 34, é a campeã de reclamações dos moradores do bairro.

A via, que é uma das ruas principais do Jardim Atlântico, apresenta buracos próximos um dos outros que as chuvas costumam esconder sob grandes poças d’agua que se formam. A rua da acesso a escolas, comércios e casas e os carros fazem fila para contornar algumas dessas crateras. Caso contrário, vira prejuízo financeiro.

A corretora de imóveis Gláucia Vale apontou a falta de qualidade dos asfaltos nas ruas e da sua manutenção. “Itaipuaçu é o caos de buraco. Eles colocam esse asfalto e daqui a pouco ele sai. É uma espécie de asfalto que dura um mês ou dois e vem a primeira chuva e voltam os buracos de novo. Já acabei com a suspensão do meu carro uma vez na Rua 34”, informou Gláucia.

Por mais que o carro esteja em perfeito estado, trafegar pelas ruas pode garantir transtornos caso não siga com cuidado. Foi o que disse o mecânico e morador Almir de Souza Pires. “Você alinha um carro e no dia seguinte está tudo desalinhado de novo, bate num buraco e desalinha. Estoura rolamento de peso, estoura tudo”, contou.

Um caso semelhante ocorreu com Paulo Roberto, ajudante de caminhão, que precisou arcar com o custo de um pneu danificado de seu próprio veículo. “Meu carro está apoiado lá hoje no mecânico, com o pneu furado (foto), por causa desses buracos aí. Acho que a Rua Van Lerbergue é a pior que a gente tem aqui. Com asfalto, é claro. Sem asfalto, a Rua 52 é a pior”, informou.

Quem trabalha diariamente com o carro em Itaipuaçu reconhece o problema. O taxista que circula em todo município, Ricardo Oliveira informou que já teve o aro amassado e o pneu rasgado enquanto carregava passageiros. “Alguns problemas são crônicos. Ruas como a Van Lerbergue e a Avenida Carlos Marighella, após chuvas sucessivas já é o suficiente para causar transtornos para todos nós. São sempre nos mesmos lugares, sempre os mesmos buracos”, contou o taxista.

Em nota, a Prefeitura informou que a Secretaria de Obras vai enviar uma equipe ao local para fazer os reparos necessários na via. A Prefeitura esclareceu, ainda, que o lençol freático é muito próximo da superfície na região e por conta disso a água dificulta a manutenção e afeta a durabilidade da pavimentação.

Notícias Relacionadas