Maricá, Niterói e São Gonçalo concentram maior número de acidentes com moto

Maricá, Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito e Tanguá são os campeões do Estado em número de acidentes com motocicletas envolvendo vítimas atendidas pelo Corpo de Bombeiros em 2017. O balanço foi divulgado nesta terça-feira (23/10) pela corporação, que traçou o perfil das vítimas de acidentes de trânsito no período. A região concentra 52,3% das vítimas de acidentes com moto em todo o Estado e 43,9% dos óbitos. As regiões que registraram menos vítimas em acidentes desta natureza foram a da Costa Verde (34,9%) e a Sul (39,3%).

A motocicleta é meio de transporte campeão em acidentes, responsável por 47,7% das vítimas atendidas pelos bombeiros. Segundo o relatório, as motos, no entanto, correspondem a apenas 16,7% da frota no estado. Mesmo assim, foram motivadoras de quase metade dos socorros prestados no último ano.

Em seguida está o carro, que representa 68,2% da frota e é responsável por 28,9% dos atendimentos. Já os atropelamentos equivalem a 11,7% dos resgates, e as bicicletas, 6,9%. Apenas 2,8% das pessoas socorridas estavam em ônibus, 1,2%, em caminhões e 1%, em vans.

Na região, o trecho da RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) entre São Gonçalo e Maricá, é campeão de acidentes de trânsito com vítimas atendidas pelos bombeiros, com 486 socorros. Os números incluem acidentes de moto, carro e outros veículos. Logo atrás aparece o trecho da RJ-104 entre Niterói e São Gonçalo, com 392 atendimentos. Nessas duas vias, também foi detectado o maior número de vítimas com sinais de uso de bebidas alcoólicas percebidos pelos socorristas, 76 e 56 registros, respectivamente. A seguir, figuraram a Avenida Vinte e Dois de Maio, em Itaboraí (com 49 atendimentos) e a Estrada Francisco da Cruz Nunes, em Niterói, com 41.

A região concentra 12,5% do total de ocorrências envolvendo acidentes de trânsito no Estado, atrás da capital, com 43% e da Baixada Fluminense, com 13,2% dos casos. Apesar do maior número de vítimas, a capital apresenta um menor índice de consumo de álcool entre as vítimas atendidas pelos bombeiros em relação à região de Niterói e cidades vizinhas, com 12,6% contra 15,9%, respectivamente. As grandes campeãs no registro de vítimas que consumiram bebidas alcoólicas são as regiões Serrana (17,8%) e Norte-Noroeste (17,9%).

As maiores vítimas das ocorrências são homens entre 20 a 29 anos, com incidência 324% maior do que as mulheres da mesma idade. O estudo foi realizado a partir de dados registrados pelas unidades operacionais do Corpo de Bombeiros, tendo como base os atendimentos pré-hospitalares realizados no território fluminense envolvendo veículos terrestres. A intenção da pesquisa é fornecer informações para basear e fortalecer estratégias de prevenção.

Notícias Relacionadas