PM prende suspeito que confessa ter executado Sargento em comunidade de Maricá

Foto: Reprodução LSM

Foto: Reprodução LSM

Policiais Militares da 6ª Companhia de Maricá prenderam no início da tarde desta segunda-feira (15/10) um dos ssuspeitos de ter executado o Sargente da PM Anchises Avelino de Azevedo Neto, morto com cinco tiros na tarde deste domingo na comunidade do Saco da Lama, no bairro da Amizade.

O suspeito é Júnior Carello Guimarães, vulgo ‘Júnior Cão’, de 27 anos. Ele foi encontrado na casa da irmã próximo a estrada do Boqueirão, próximo à subida do Morro do Clan. A PM chegou ao local através de informações repassadas pelo do Disque-Denúncia.

Ele foi levado para a Sede da Divisão de Homicídios, em Niterói. No entanto, o suspeito foi ouvido pelo Polícia Civil e liberado em seguida.

Durante a madrugada desta terça-feira (16/10), Júnior Cão voltou a ser preso pela polícia e teria confessado a autoria do crime.

Júnior Cão havia sido preso por Anchises no dia 21 de setembro acusado por tráfico de drogas e já estava respondendo em liberdade. Ele negou que tenha sido autor dos disparos que matou o Policial Militar.

O crime teria ocorrido quando Anchises voltava de uma caminhada. Ao pegar sua moto para ir pra casa, percebeu que estava sendo seguido. Ele fugiu, mas acabou entrando na comunidade e foi executado.

O sepultamento do Sargento aconteceu nesta terça-feira, 16, no cemitério municipal de Maricá.

Vereadores repercutem a morte durante a sessão da Câmara de Maricá

A Segurança Pública voltou a ser tema de discussão na Câmara Municipal de Maricá após o assassinato de um sargento da Polícia Militar. Anchises Avelino foi morto na comunidade Saco da Lama, no bairro da Amizade, em Maricá. O crime suscitou discussão durante a sessão ordinária desta segunda-feira (15) e os vereadores pediram mais atenção quanto à segurança pública.

Robgol (PT), vereador do bairro da Amizade, lamentou a morte. Ele pediu para Secretaria de Cultura implantar mais projetos sociais envolvendo os jovens e adolescentes do local para inibir o ingresso na criminalidade.

“Hoje acordei com essa notícia e um sentimento de tristeza. Um policial foi assassinado na área que moro e um jovem também foi morto na quinta-feira. É muito triste para mim. É difícil porque me dedico 24 horas àquela comunidade.  Peço que a secretária de Cultura coloque projetos culturais naquela localidade. Agradeço ao secretário de Esporte pelos projetos colocados lá”.

O vereador Ricardinho Netuno (Patriotas) também lamentou a morte do PM. “Meus sentimentos à família. Essa violência está assustadora. Na semana passada um jovem foi morto no MCMV.  O policial tem que ter poder de agir. Se não mudar essa política e não investirmos, a situação vai piorar”.

O vereador Chiquinho (PP) pediu mais segurança no Condomínio Minha Casa, Minha Vida, em Inoã. “Peço ao coronel Marcio Guimarães que veja a segurança. Peço que coloque uma cabine ou deixe uma viatura no MCMV. Todo dia tem apreensão de drogas na unidade de Inoã. Isso já está me deixando preocupado demais. Hoje vejo a notícia de um policial militar assassinado em Maricá. Olha o ponto que chegamos. Tenho visto os policiais trabalhando, mas a criminalidade está grande demais. Peço que esta Casa faça uma reunião urgente”.

Notícias Relacionadas